EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS – QUESTÕES DE Português com Gabarito – Questões para Concursos.

EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS

Faça milhares de exercícios de português e fortifique seus  conhecimentos nessa matéria que está presente em todos os concursos públicos.

1) Faça a correspondência correta usando as palavras “mau” ou “mal” de acordo com as orações:

1. mau
2. mal

( ) O _____ se vence com o bem.
( ) _____ posso esperar a sua chegada.
( ) O _____ funcionário não faz falta.

A sequência correta é:

a) 1, 1, 2;
b) 2, 1, 2;
c) 2, 2, 1;
d) 1, 1, 1;

2) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS) “Mas esse garoto é um sábio!”, sobressaltei, ouvindo a palavra final.”

A oração reduzida sublinhada só NÃO pode equivaler semanticamente a:

a) …porquanto ouvia a palavra final;
b) …quando ouvi a palavra final;
c) …após ouvir a palavra final;
d) …enquanto ouvia a palavra final;

3)  … pela sensação de não ter cumprido integralmente sua cota pessoal de sacrifício.

1. Quantidade máxima permitida (de importações, exportações, imigrantes) num dado período.
2. Parcela que corresponde à fração do preço de algum produto.
3. Quantia correspondente à con tribuição de cada indivíduo de um grupo para certo fim.
4. Nas sociedades mercantis de responsabilidade limitada, a porção do capital de cada sócio.
5. Citação, nota, apontamento ou referência à margem dum escrito.
Considerando-se o emprego do vocábulo cota no contexto, seu significado é o de número:

a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

4) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS) A alternativa que mostra um vocábulo com a presença de um encontro vocálico que só pode ser considerado como hiato:

a) estacionamento;
b) visitantes;
c) funcionários;
d) veículos;

5) EXECUTIVOS PÕEM A MÃO NA MASSA

Fritar hambúrguer, atender um cliente no caixa, reposicionar cerveja na gôndola e conferir o pedido de caixas de refrigerantes e salgadinhos já são tarefas familiares para muitos executivos de primeira linha.
Dirigentes de grandes empresas [....] estão saindo das mesas dos escritórios, tirando as gravatas e arregaçando as mangas ao encontro dos consumidores, para reforçar a venda das empresas. Estão, literalmente, pondo a mão na massa e atuando na linha de frente, no balcão.

O segundo parágrafo diz que os executivos estão “literalmente” pondo a mão na massa. O termo entre aspas, nesse caso:

a) demonstra a boa preparação dos executivos para atividades variadas;
b) está mal empregado, já que as atividades citadas não incluem massas;
c) mostra que o termo está empregado em linguagem figurada;
d) indica que os executivos não estão fazendo bem o seu trabalho;

6) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS) Na frase Investimentos na integração por meio dos rios vai tirar municípios amazonenses do isolamento, a expressão verbal vai tirar pode ser adequadamente substituída, sem alteração de sentido, por:

a) tiraria.
b) tirará.
c) tira.
d) teria tirado.

7) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS) Os dicionários “desempenham função cultural relevante”. Assinale a alternativa que contém um sinônimo de “relevante”.

a) Importante
b) Restrita
c) Superficial
d) Dispensável

8) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS) Assinale a opção em que o trecho foi transcrito com erro de pontuação.

a) Ao longo dos últimos anos, na reforma do Judiciário, o Congresso municiou o Supremo com ferramentas novas para imprimir maior eficácia ao sistema. A corte, entretanto, as vem utilizando com certa timidez.
b) A mais poderosa dessas armas é o efeito vinculante. Trata-se de dispositivo que permite ao Supremo editar súmulas fixando jurisprudência que deve obrigatoriamente ser seguida pelas instâncias inferiores da Justiça e pela administração pública.
c) Criado em 2004 e regulamentado dois anos depois, o mecanismo só foi utilizado em três ocasiões, nenhuma delas envolvendo conteúdo muito controverso.
d) Caminho semelhante segue o princípio da repercussão geral, que possibilita ao STF, recusar recursos extraordinários e agravos em ações com baixa relevância social, no entendimento da maioria dos ministros.

9) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS) No período “Foi aí que surgiu a expressão “que bons ventos o trazem”.”, a palavra destacada poderia ser substituída, sem prejuízo para o significado do período, por:

a) naquele lugar.
b) naquele momento.
c) nesta situação.
d) neste momento.

10) (EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS)  Em: “…fora um sentimento sério, grave e absorvente.”, a concordância nominal está de acordo com as normas gramaticais vigentes e a alternativa abaixo que INFRINGIU tais normas é:

a) Estavam destruídos a chácara, a ilha e o galpão.
b) Leu um e outro comentário.
c) Comprou cinto e carteira vermelhas.
d) Foi marcada a hora e o dia da prova.

GABARITO:

1-C 2-A 3-C
4-D 5-C 6-B
7-A 8-D 9-B 10-C

Orações – Questões com Gabarito – Simulado


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

Orações – Exercícios com Gabarito

01) ESPCEX – No período: “… no fundo eu não estava triste com a viagem de meu pai, era a primeira vez que ele ia ficar longe de nós por algum tempo …”, a oração sublinhada é:

a) subordinada substantiva predicativa;
b) subordinada adjetiva restritiva;
c) subordinada adverbial de lugar;
d) subordinada substantiva subjetiva.

02) ESFAO – Somando os números correspondentes às orações corretas quanto à classificação das mesmas, você encontrará a resposta da questão.

“Garantiram-me que, depois de preenchido o formulário, que me enviaram pelo correio na segundafeira sem falta e pagar a minha taxa de inscrição, eu seria atendido em menos de quarenta e oito horas.” (F. Sabino)

(02) 1º oração: principal;
(08) 2º oração: subordinada substantiva objetiva direta;
(14) 3º oração: subordinada substantiva objetiva direta;
(20) 4º oração: subordinada adjetiva restritiva;
(26) 5º oração: coordenada sindética aditiva em relação à 3º e subordinada adverbial temporal em relação à 1ª.

a) 24
b) 36
c) 48
d) 56
e) 70

03) AFA – Em que alternativa, a oração subordinada não é da mesma natureza da que existe em “Quero que vocês escrevam uma composição”?

a) “E anunciou que não nos faria cantar.”
b) “Esperava um irmão que vinha buscá-la.”
c) “Vamos fazer de conta que estamos na aula de Português.”
d) “Circulava a história de que ela dormia no sótão do colégio.”

04) EFOMM – Assinale o par de orações grifadas cuja classificação está trocada:

a) Vi onde ela estuda. (subordinada substantiva objetiva direta)
É sabido onde ela estuda. (subordinada substantiva subjetiva)

b) Não chores, porque amanhã será um novo dia. (coordenada sindética explicativa)
Não chores porque erraste o problema. (subordinada adverbial causal)

c) Descobriu-se por quem o carro foi consertado. (subordinada adjetiva restritiva)
Descobriu-se a pessoa por quem o carro foi consertado. (subordinada substantiva subjetiva)

d) “Quando você foi embora, Fez-se noite em meu viver (…)” (subordinada adverbial temporal)
Perguntei ao professor quando faríamos a prova. (subordinada substantiva objetiva direta)

e) “Estêvão ficou ainda algum tempo encostado à cerca na esperança de que ela olhasse (…)”
(subordinada substantiva completiva nominal)

“A ambição e o egoísmo se opõem a que a paz reine sobre a Terra.” (subordinada substantiva objetiva indireta)

05) Colégio Naval

Vamos até a Matriz de Antônio Dias
onde repousa, pó sem esperança, pó sem lembrança, o Aleijadinho.

Vamos subindo em procissão a lenta ladeira.
Padres e anjos, santos e bispos nos acompanham
e tornam mais rica, tornam mais grave a romaria de assombração.
Mas já não há fantasmas no dia claro,
tudo é tão simples,
tudo tão nu,
as cores e cheiros do presente são tão fortes e tão urgentes
que nem se percebem catingas e rouges, boduns e ouros do século 18.
(O vôo sobre as igrejas, Carlos Drumond de Andrade)

O “que” do verso 10 apresenta o valor semântico de:

a) explicação;
b) condição;
c) conformidade;
d) conseqüência;
e) lugar.

06) Colégio Naval – No trecho: “Todos diziam que ela era orgulhosa, mas afinal descobri que não”, a última oração se classifica como:

a) coordenada sindética adversativa;
b) principal;
c) subordinada substantiva objetiva direta;
d) subordinada adverbial comparativa;
e) subordinada substantiva subjetiva.

07) AFA

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó Liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
- Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte,

As orações “Desafia o nosso peito a própria morte”, “que um filho teu não foge à luta” e “quem te adora” classificam-se, respectivamente, como:

a) principal, subordinada substantiva subjetiva, subordinada adjetiva restritiva;
b) principal, subordinada adverbial temporal, subordinada substantiva objetiva direta;
c) principal, subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva subjetiva;
d) coordenada assindética, subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva
apositiva.

08) EPCAR – Marque a alternativa que contém oração subordinada substantiva completiva nominal.
a) “Como fazem os pelintras de hoje para não molhar os pés nos dias de chuva?”
b) “Veio-me a desagradável impressão de que todo mundo reparava nas minhas galochas.”
c) “Um dia as galochas me serão úteis, quando eu for suficientemente velho para merecê-las.”
d) “No restaurante, onde entrei arrastando os cascos como um dromedário, resolvime ver livre das galochas.”
e) “No centro da cidade um sol radioso varava as nuvens e caía sobre a rua, enchendo tudo de luz, fazendo evaporar as últimas poças de água que ainda pudessem justificar minhas galochas.”

09) EFOMM – Assinale o único exemplo em que não ocorre oração subordinada substantiva subjetiva:

a) “Cansativo que seja, urge atravessarmos o campo que banha o Rio Negro antes de anoitecer.”
b) “Todo escritor que surge reage contra os mais velhos, mesmo que o não perceba, e ainda que os admire.”
c) “Dormiram naquilo, tinham-se acostumado, mas seria mais agradável dormirem numa cama de lastro de couro.”
d) “É preciso que o pecador reconheça ao menos isto: que a Moral católica está certa e é
irrepreensível.”
e) “Sobre a multiplicidade informe e confusa dos bens da matéria é mister que paire a força
ordenadora do espírito.”

10) Colégio Naval – Somos uma pequena parte do elo, o miolo de envoltórios descomunais que
desconhecemos, arrogantes embora, na suposição de que é conosco que Deus se preocupa.
A última oração do texto deve ser classificada como subordinada:

a) adverbial concessiva;
b) substantiva completiva nominal;
c) adjetiva restritiva;
d) substantiva predicativa;
e) substantiva subjetiva.

11) ESFAO – Em “Dentro dela se abrigava a multidão de bárbaros e de estranhos ali recebidos com brandura e carinho” e “Tudo o que era natureza tinha o aspecto sinistro, trágico, desolador (…)”, temos, respectivamente:

a) uma oração com sujeito simples; / duas orações com sujeito representado por pronomes
(respectivamente, demonstrativo e relativo);
b) duas orações, uma com sujeito claro, outra, oculto; / duas orações, tendo a primeira o sujeito
simples representado por pronome relativo, a segunda, por um substantivo;
c) uma oração com sujeito composto cujos núcleos são bárbaros e estranhos; / duas orações,
estando a subordinada com sujeito oculto;
d) uma oração com sujeito simples; / uma oração com sujeito representado por pronome indefinido;
e) uma oração com sujeito pronominal; / uma oração com sujeito oracional.

12) EFOMM – “Não sei de onde te conheço.” A classificação correta da oração grifada está na opção:

a) substantiva predicativa;
b) adjetiva restritiva;
c) substantiva subjetiva;
d) substantiva objetiva indireta;
e) substantiva objetiva direta.

13) EPCAR

Quando uma nuvem nômade destila
gotas, roçando a crista azul da serra,
umas brincam na relva, outras tranqüilas,
serenamente entranham-se na terra.

E a gente fala da gotinha que erra
de folha em folha e, trêmula, cintila,
mas nem se lembra da que o solo encerra,
de que ficou no coração da argila!

Quanta gente, que zomba do desgosto
mudo, da angústia que não molha o rosto
e que não tomba, em gotas, pelo chão
havia de chorar, se adivinhasse
que há lágrimas que correm pela face
e outras que rolam pelo coração!

(Guilherme de Almeida)

Entre as alternativas abaixo, a única correta é:

a) não há oração adverbial no texto em apreço;
b) há menos de quatro orações adjetivas no soneto;
c) há oração substantiva sem sujeito;
d) na oração “que há lágrimas”, o que não é integrante;
e) não há pronome demonstrativo no referido texto.

14) CESGRANRIO – “Hoje, a dependência operacional está reduzida, uma vez que o Brasil adquiriu auto-suficiência na produção de bens como papel-imprensa (…)” A oração grifada no período acima tem valor:

a) condicional;
b) conclusivo;
c) concessivo;
d) conformativo;
e) causal.

15) Colégio Naval

“No entanto parece que os freqüentadores deste cinema
Estão perfeitamente deslembrados de que terão de morrer
- Porque em toda sala escura há um grande ritmo de esquecimento e equilíbrio.”

A última oração do poema tem valor:

a) subordinativo, revelando uma idéia de causa;
b) coordenativo, traduzindo uma idéia de explicação;
c) subordinativo, denotando conclusão;
d) coordenativo, traduzindo uma idéia de tempo;
e) subordinativo, revelando uma idéia de conseqüência.

16) UNIRIO – Assinale o item em que há uma oração adjetiva.

a) Perdão, por Deus, perdão – respondeu o pombo.
b) A pombinha, que era branca sem exagero, arrulhava, humilhada e ofendida com o atraso.
c) Perdeste a noção do tempo?
d) A tarde era tão bonita que eu tinha de vir andando.
e) O pombo caminhava pelo beiral mais alto, do outro lado. Um pouco além, gritavam as gaivotas.

17) Colégio Naval

Nada sei, afinal, da tua aparência no tempo, a não ser o que me contavam em casa, desde menino: que eras ruivo como eu, que vieste em vinte e quatro, com os primeiros colonos, e abandonaste logo a tua pobre lavoura, encravada nos matos de Sapucaia, para alistar-te entre os Farroupilhas.

Pudesse eu, armado de vidência, acompanhar-te o passo, Maria Klinger; ver claramente vistas as tuas andanças de colona; como venceste as veredas e picadas; como tomaste o caminho que ia dar nos arredores da cidade; como paraste, cansada, à sombra das árvores, ou foste pedir, na tua língua de trapos, um pouco de água para a tua sede (…)

Assinale o único item que não apresenta uma oração subordinada substantiva objetiva direta.

a) “(…) a não ser o que me contavam em casa (…)”
b) “(…) que eras ruivo como eu.”
c) “(…) e abandonaste logo a tua pobre lavoura (…)”
d) “(…) como venceste as veredas e picadas (…)”
e) “(…) ou foste pedir (…) um pouco de água para a tua sede”

18) PUC – “É preciso (I) levar tudo isso em conta (II) quando se analisa o (III) que está ocorrendo em nossos dias.” A classificação das orações subordinadas sublinhadas é, respectivamente:

a) adjetiva (I), adverbial (II), substantiva (III);
b) substantiva (I), adjetiva (II), substantiva (III);
c) adverbial (I), substantiva (II), adjetiva (III);
d) substantiva (I), adverbial (II), adjetiva (III);
e) adverbial (I), adverbial (II), substantiva (III).

19) ESPCEX – Marque a alternativa que indica a correta classificação das orações sublinhadas, segundo a ordem em que estas aparecem nas frases abaixo:

1) Robertinho, com ser inteligente, não foi aprovado no concurso.
2) Não é permitido transitar por esta rua.
3) Chocou-nos o seu modo áspero de falar, embora não tivesse o propósito de ofender a pessoa alguma.

a) subordinada substantiva apositiva, subordinada substantiva completiva nominal, subordinada adjetiva;
b) subordinada adverbial conformativa, subordinada substantiva predicativa, subordinada
completiva nominal;
c) subordinada adverbial concessiva, subordinada substantiva subjetiva, subordinada substantiva completiva nominal;
d) subordinada substantiva apositiva, subordinada substantiva subjetiva, subordinada adjetiva.
Resposta: __________

20) Colégio Naval – No período: “Quando o rei Herodes mandou decapitar crianças, eu o levei na fuga para o Egito”, as orações classificam-se, respectivamente:

a) subordinada adverbial temporal / subordinada substantiva objetiva direta / principal;
b) subordinada adverbial temporal / principal;
c) principal / substantiva objetiva direta / coordenada assindética;
d) coordenada sindética conclusiva / coordenada assindética;
e) subordinada adverbial proporcional / principal.

21) UNIRIO – Em “Entende-se bem que D. Tonica observasse a contemplação dos dois”. à oração principal segue-se uma oração subordinada:

a) substantiva subjetiva;
b) substantiva objetiva direta;
c) adjetiva restritiva;
d) adverbial causal;
e) adverbial concessiva.

22) ESFAO – Que oração subordinada substantiva em destaque é completiva nominal:

1) desejo que um dia me restitua uma parte de sua estima.
2) habituei-me a considerar a riqueza primeira força.
3) pensando que os poderia refazer mais tarde.
4) e os exemplos ensinavam-me que o casamento era meio legítimo.
5) o casamento era meio legítimo de adquiri-la.

23) EFOMM – Marque a classificação correta das orações destacadas no período: “Ao analisar o desempenho da economia brasileira, os empresários afirmaram que a produção e o lucro eram bastante razoáveis.”

a) subordinada adverbial temporal – subordinada substantiva objetiva direta;
b) principal – subordinada substantiva completiva nominal;
c) subordinada adverbial temporal – subordinada adjetiva restritiva;
d) principal – subordinada adverbial final;
e) subordinada adverbial condicional – subordinada substantiva subjetiva.

24) Colégio Naval – Marque a alternativa em que a oração destacada não se encontra corretamente classificada.

a) “Parece que eu não acreditava na história” – oração subordinada substantiva subjetiva;
b) “(…) torcíamos para ele subir mais” – oração subordinada adverbial final;
c) “Lembro-me (…) desse jardim que não existe mais.” – oração subordinada adjetiva restritiva;
d) “Lá fora, uma galinha cacareja, como antigamente.” – oração subordinada adverbial
comparativa;
e) “Diziam que São Pedro estava arrastando os móveis” – oração subordinada substantiva subjetiva.

25) UNIRIO – No período “Ah, arrulhou de repente a pomba, quando distinguiu, indignada, o pombo que chegava (…)”, as duas orações subordinadas são respectivamente:

a) adjetiva e adverbial temporal;
b) substantiva predicativa e adjetiva;
c) adverbial temporal e adverbial temporal;
d) adverbial temporal e adverbial consecutiva;
e) adverbial temporal e adjetiva.

26) EFOMM – Assinale a opção em que uma oração subordinada destoa das demais:

a) Nunca souberam como ele morreu.
b) É proibido falar ao motorista.
c) Diz-se que amor com amor se paga.
d) Nunca se sabe quando ele fala sério.
e) Importa apenas que os dois se respeitem.

27) UFRRJ – “Tal era a fúria dos ventos, que as copas das árvores beijavam o chão.” Neste período, a oração subordinada é adverbial:

a) concessiva;
b) condicional;
c) consecutiva;
d) proporcional;
e) final.

28) EFOMM – “Depois que o velho morresse, não teria mais graça saltar o muro para roubar fruta na sua horta.” As duas últimas orações do período são, respectivamente:

a) subordinada substantiva subjetiva / subordinada substantiva completiva nominal;
b) subordinada substantiva objetiva direta / subordinada adverbial final;
c) subordinada substantiva objetiva indireta / subordinada substantiva completiva nominal;
d) subordinada substantiva subjetiva / subordinada adverbial final;
e) subordinada substantiva predicativa / subordinada completiva nominal.

29) CESGRANRIO – Assinale a classificação correta da oração sublinhada:

“Caíra no fim do pátio, debaixo de um juazeiro, depois tomara conta da casa deserta.”

a) subordinada adverbial temporal;
b) subordinada adverbial proporcional;
c) subordinada adverbial consecutiva;
d) coordenada sindética conclusiva;
e) coordenada assindética.

30) Colégio Naval – No período: “E era uma tal multidão de astros a tremeluzir que, juro, às vezes, tinha a impressão de ouvir o burburinho infantil de suas vozes.”, o vocábulo sublinhado introduz uma oração:

a) subordinada adjetiva explicativa;
b) subordinada adverbial causal;
c) subordinada substantiva objetiva direta;
d) subordinada adverbial consecutiva;
e) subordinada adverbial concessiva.

31) PUC – “quando eu quiser sei onde achá-lo”. As orações sublinhadas são classificadas, respectivamente, como:
I
a) adverbial / adjetiva;
b) adverbial / adverbial;
c) adverbial / substantiva;
d) adjetiva / substantiva;
e) principal / adverbial.

32) EFOMM – Todas as orações estão analisadas corretamente, exceto:

a) Sem que me ajudasses, nada poderia fazer. (sub. adverbial condicional)
b) Os empregados estavam esgotados de modo que se retiraram imediatamente.
(sub. adv.consecutiva)
c) Admira-me que não tenhas podido chegar a tempo. (sub. substantiva subjetiva)
d) “Plante, que o João garante.” (coordenada sindética explicativa)
e) Fazia um calor de fritar ovos no chão. (sub. substantiva completiva nominal)

33) ESFAO – Marque a opção correta:

Comparando-se as duas falas de Esopo:

1º “Com a língua se ensina, se persuade … se afirma.”
2º “É a língua que mente, que esconde … que corrompe.”

Verifica-se na estruturação a seguinte característica:

a) apenas períodos compostos por subordinação;
b) na primeira, um período composto por coordenação; na segunda, um período composto por
subordinação;
c) orações sem sujeitos, pois todos os verbos são impessoais;
d) identidade sintática, mas oposição semântica;
e) semelhança semântica, sintática e morfológica.

34) Colégio Naval

“Sai, afastando-me dos grupos, e fingido ler os epitáfios. E, aliás, gosto dos epitáfios; eles são, entre a gente civilizada, uma expressão daquele pio e secreto egoísmo que induz o homem a arrancar à morte um farrapo ao menos da sombra que passou. Daí vem, talvez, a tristeza inconsolável dos que sabem os seus mortos na vala comum; parece-lhes que a podridão anônima os alcança a eles mesmos.”
(Quincas Borba – M. de Assis)

“(…) que a podridão anônima os alcança a eles mesmos.”uma oração:

a) adjetiva restritiva;
b) adjetiva explicativa;
c) adverbial condicional;
d) substantiva subjetiva;
e) substantiva objetiva direta.

35) UNIRIO – “(…) fi-la construir de propósito, levado de um desejo tão particular que me vexa imprimi-lo, mas vá lá.” O vocábulo sublinhado introduz oração que denota:

a) tempo;
b) causa;
c) condição;
d) comparação;
e) conseqüência.

GABARITO

01) D
02) D
03) B
04) C
05) D
06) C
07) C
08) B
09) B
10) B
11) A
12) E
13) C
14) E
15) A
16) B
17) A
18) D
19) C
20) A
21) A
22) 5
23) A
24) E
25) E
26) A
27) C
28) D
29) E
30) D
31) C
32) E
33) B
34) D

35) E

Substantivo – Exercícios com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

Substantivo – Exercícios com Gabarito

1. Numa das seguintes frases, há uma flexão de plural grafada erradamente:


a) os escrivães serão beneficiados por esta lei.
b) o número mais importante é o dos anõezinhos.
c) faltam os hifens nesta relação de palavras.
d) Fulano e Beltrano são dois grandes caráteres.
e) os répteis são animais ovíparos.

2. Assinale o par de vocábulos que fazem o plural da mesma forma que “balão” e “caneta-tinteiro”:

a) vulcão, abaixo-assinado;
b) irmão, salário-família;
c) questão, manga-rosa;
d) bênção, papel-moeda;
e) razão, guarda-chuva.

3. Assinale a alternativa em que está correta a formação do plural:

a) cadáver – cadáveis;
b) gavião – gaviães;
c) fuzil – fuzíveis;
d) mal – maus;
e) atlas – os atlas.

4. Indique a alternativa em que todos os substantivos são abstratos:

a) tempo – angústia – saudade – ausência – esperança– imagem;
b) angústia – sorriso – luz – ausência – esperança –inimizade;
c) inimigo – luz – esperança – espaço – tempo;
d) angústia – saudade – ausência – esperança – inimizade;
e) espaço – olhos – luz – lábios – ausência – esperança.

5. Assinale a alternativa em que todos os substantivos são masculinos:

a) enigma – idioma – cal;
b) pianista – presidente – planta;
c) champanha – dó(pena) – telefonema;
d) estudante – cal – alface;
e) edema – diabete – alface.

6. Sabendo-se que há substantivos que no masculino têm um significado; e no feminino têm outro, diferente. Marque a alternativa em que há um substantivo que não corresponde ao seu significado:

a) O capital = dinheiro;
A capital = cidade principal;

b) O grama = unidade de medida;
A grama = vegetação rasteira;

c) O rádio = aparelho transmissor;
A rádio = estação geradora;

d) O cabeça = o chefe;
A cabeça = parte do corpo;

e) A cura = o médico.
O cura = ato de curar.

7. Marque a alternativa em que haja somente substantivos sobrecomuns:

a) pianista – estudante – criança;
b) dentista – borboleta – comentarista;
c) crocodilo – sabiá – testemunha;
d) vítima – cadáver – testemunha;
e) criança – desportista – cônjuge.

8. Aponte a seqüência de substantivos que, sendo originalmente diminutivos ou aumentativos, perderam essa acepção e se constituem em formas normais, independentes do termo derivante:

a) pratinho – papelinho – livreco – barraca;
b) tampinha – cigarrilha – estantezinha – elefantão;
c) cartão – flautim – lingüeta – cavalete;
d) chapelão – bocarra – cidrinho – portão;
e) palhacinho – narigão – beiçola – boquinha.

9. Dados os substantivos “caroço”, “imposto”, “coco” e “ovo”, conclui-se que, indo para o plural a vogal tônica soará aberta em:

a) apenas na palavra nº 1;
b) apenas na palavra nº 2;
c) apenas na palavra nº 3;
d) em todas as palavras;
e) N.D.A.

10. Marque a alternativa que apresenta os femininos de “Monge”, “Duque”, “Papa” e “Profeta”:

a) monja – duqueza – papisa – profetisa;
b) freira – duqueza – papiza – profetisa;
c) freira – duquesa – papisa – profetisa;
d) monja – duquesa – papiza – profetiza;
e) monja – duquesa – papisa – profetisa.

11.O plural dos substantivos “couve-flor”, “pão-de-ló” e “amor-perfeito”, é:

a) couve-flores; pães-de-ló; amores-perfeitos;
b) couves-flores; pães-de-ló; amores-perfeitos;
c) couves-flores; pão-de-ló; amor-perfeitos;
d) couves-flores; pão-de-lós; amores-perfeitos;
e) couves-flores; pães-de-ló; amor-perfeitos.

12. Indique o grupo de substantivo que só admite o artigo “o” :

a) cal, dó, sentinela;
b) contralto, eczema, aluvião;
c) hosana, apêndice, apendicite;
d) telefonema, eclipse, afã;
e) trama, elipse, omoplata.

13. Indique a alternativa que apresenta erro na forma do plural:

a) sol: sóis; fúsil: fúseis; anão: anões;
b) peão: peões; guardião: guardiãos; caráter: caracteres;
c) órgão: órgãos;corrimão: corrimãos; mel: méis;
d) sótão: sótãos; álcool: álcoois; cônsul: cônsules;
e) faisão: faisães; anil: anis; capitão: capitães.

14. Assinale a alternativa que contiver todos os termos com plural correto:

a) luso-brasileiras; rosas-chá; sapatos-areia; decretos-lei;
b) guardas-marinha; prócers; procônsules; totens;
c) grã-cruzes; chefes-de-seção; surdo-mudos; primas-donas;
d) saias-calças; ouvidores-mor; baixos-relevos; gatos-pingados;
e) sapatos-de-cristais; coronéis-de-barrancos; olhosde-gatos.

15. Entre os substantivos aqui relacionados, há um que é do masculino qual?

a) hóstia;
b) Anátema;
c) Ráfia;
d) Antífona;
e) Estenia.

GABARITO:

1. D
2. C
3. E
4. D
5. C
6. E
7. D
8. C
9. E
10. E
11. B
12. D
13. B
14. A

15. B

Sintaxe – Exercícios com Gabarito – Dicas de Concursos Públicos


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

Sintaxe – Exercícios com Gabarito


1.Na oração: “Foram chamados às pressas todos os vaqueiros da fazenda vizinha”, o núcleo do sujeito é:

a) todos;
b) fazenda;
c) vizinha;
d) vaqueiros;
e) pressas.

2. Assinale a alternativa em que o sujeito está incorretamente classificado:

a) chegaram, de manhã, o mensageiro e o guia (sujeito composto);
b) fala-se muito neste assunto (sujeito indeterminado);
c) vai fazer frio à noite (sujeito inexistente);
d) haverá oportunidade para todos (sujeito inexistente);
e) não existem flores no vaso (sujeito inexistente).

3.Em “Éramos três velhos amigos, na praia quase deserta”, o sujeito desta oração é:

a) subentendido;
b) claro, composto e determinado;
c) indeterminado;
d) inexistente;
e) claro, simples e determinado.

4.Marque a oração em que o termo destacado é sujeito:

a) houve muitas brigas no jogo;
b) Ia haver mortes, se a polícia não interviesse;
c) faz dois anos que há bons espetáculos;
d) existem muitas pessoas desonestas;
e) há muitas pessoas desonestas.

5. Indique a única frase que não tem verbo de ligação:

a) o sol estava muito quente;
b) nossa amizade continua firme;
c) suas palavras pareciam sinceras;
d) ele andava triste;
e) ele andava rapidamente.

6. Considere a frase: “Ele andava triste porque não encontrava a companheira”, os verbos grifados são respectivamente:

a) transitivo direto – de ligação;
b) de ligação – intransitivo;
c) de ligação – transitivo – indireto;
d) transitivo direto – transitivo indireto;
e) de ligação – transitivo direto.

7.Na praça deserta um homem caminhava – o sujeito é:

a) indeterminado;
b) inexistente;
c) simples;
d) oculto por elipse;
e) composto.

8.Na oração:”Anunciaram grandes novidades” – o sujeito é:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) elíptico;
e) inexistente.

9. “O toque dos sinos ao cair da noite era trazido lá da cidade pelo vento”. O termo grifado é:

a) sujeito;
b) objeto direto;
c) objeto indireto;
d) complemento nominal;
e) agente da passiva.

10.“Eu andava satisfeito com o mundo e comigo mesmo”, o período é:

a) simples;
b) composto por coordenação;
c) composto por subordinação;
d) composto por coordenação e subordinação;
e) composto de duas orações.

11. Na oração “Mestre Reginaldo, o impoluto, é uma sumidade no campo das ciências” – o termo grifado é:

a) adjunto adnominal;
b) vocativo;
c) predicativo;
d) aposto;
e) sujeito simples.

12.Na expressão: “por todos era apedrejado o Luizinho”, o termo grifado é:

a) objeto direto;
b) objeto indireto;
c) sujeito;
d) complemento nominal;
e) agente da passiva.

13. Dentre as orações abaixo, uma contém complemento nominal. Qual?

a) Meu pensamento é subordinado ao seu.
b) Você não deve faltar ao encontro.
c) Irei à sua casa amanhã.
d) Venho da cidade às três horas.
e) Voltaremos pela rua escura …

14. Assinale a alternativa em que o termo grifado é adjunto adnominal:

a) Sua falta aos encontros sufocava o nosso amor.
b) Ela é uma fera maluca.
c) Ela é maluca por lambada nacional.
d) Não tenho medo da louca.
e) O amor de Deus é o primeiro mandamento.

15.Em “a linguagem do amor está nos olhos” – os termos grifados são respectivamente:

a) complemento nominal e predicativo do sujeito;
b) adjunto adnominal e predicativo do sujeito;
c) adjunto adnominal e objeto direto;
d) complemento nominal e adjunto adverbial;
e) adjunto adnominal e adjunto adverbial.

16. “Diga ao povo que fico” é um período:

a) simples;
b) composto por coordenação;
c) composto por subordinação;
d) composto por coordenação e subordinação;
e) composto de três orações.

17. “Saúde e felicidade são as minhas aspirações na vida” – nessa expressão o sujeito é:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) oculto;
e) oração sem sujeito.

18.Na expressão: “Ordem e progresso, esse é o nosso lema” – o sujeito é:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) oculto;
e) inexistente.

19. Já na expressão “O prefeito Odorico nomeou Dirceu Borboleta ajudante de ordens” – as palavras grifadas funcionam como:

a) objeto direto;
b) objeto indireto;
c) predicativo do sujeito;
d) aposto;
e) predicativo do objeto

20.O verbo de “confio este carro à distinção dos senhores passageiros” é:

a) transitivo direto;
b) transitivo indireto;
c) transitivo direto e indireto;
d) intransitivo;
e) de ligação.

21. Em: “Era inverno e fazia frio” – há duas orações cujos sujeitos são respectivamente:

a) inexistente e indeterminado;
b) indeterminado e inexistente;
c) inexistente e inexistente;
d) indeterminado e indeterminado;
e) N. R. A. porque ambos são compostos.

22. Qual o período simples?

a) Encontrará, talvez, no caminho da vida, asperezas, ingratidões, grosserias, injustiças, brutalidades. . .;
b) Quem sabe se não encontrará inimigos cruéis e “amigos” pérfidos;
c) Dorme, dorme meu anjinho, que a “Mamã” vela por ti . . .;
d) Ela defende-o e protege-o;
e) Faz cinco anos que o procuro.

23.Confiamos no futuro Desconhecemos as coisas do futuro. Temos confiança no futuro
- Nas expressões acima, os termos grifados funcionam respectivamente, como:

a) objeto indireto; adjunto adnominal; complemento nominal;
b) objeto indireto; complemento nominal; objeto indireto;
c) objeto indireto; objeto indireto; complemento nominal;
d) objeto direto; adjunto adnominal; objeto indireto;
e) objeto direto; sujeito; complemento nominal.

24. Em: “faz anos que não chove no sertão” – há duas orações com sujeito:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) inexistente;
e) elíptico.

25.Em: “pediram-me papai e mamãe que eu fosse mais audacioso”:

a) o sujeito da primeira oração é simples e o da segunda é inexistente;
b) o sujeito da primeira oração é composto e o da segunda, é simples;
c) o sujeito da primeira oração é indeterminado e o da segunda, inexistente;
d) o sujeito da primeira oração é inexistente e o da segunda indeterminado;
e) o sujeito da primeira oração é composto e o da segunda inexistente.

26. Em: “À boca da noite a cata-piolhos rezava baixinho . . .” , o sujeito é:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) inexistente;
e) oculto.

27.Em qual das alternativas o verbo grifado é de ligação?

a) Quando você pára, eu continuo.
b) Amélia continua mulher de verdade.
c) Esta “droga” de relógio não anda.
d) Andei dois quilômetros a pé.
e) Nos primeiros dias aprendi as notas musicais.

28.O predicado é nominal em:

I – Você acha Cristina bonita, mamãe?
II – O mundo podia ser tranqüilo.
III – “Zé Mané” não estava embriagado.
IV – O guarda noturno permanece atento a todos os perigos.
V – Os transeuntes ficaram assustados.

a) I – II – III;
b) II – III;
c) II – IV;
d) III – IV – V – II;
e) I – II – IV.

29. Dentre as orações abaixo, uma tem sujeito indeterminado. Qual?

a) A nossa casa parecia uma arca de Noé.
b) Não iria além de um vice-campeonato.
c) As águas trafegam furiosas.
d) Atropelaram um boi lá na gentil.
e) No lugar só ficou a surpresa.

30.Na oração: “Diziam que ele era igualzinho a meu pai”, o sujeito da primeira oração é:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) inexistente;
e) oculto.

31.Dê a função sintática do elemento grifado: “Mestre Cupijó, ouviu-se há dias a sua grande obra”.

a) adjunto adnominal;
b) sujeito;
c) vocativo;
d) aposto;
e) objeto direto.

32. Em: “o homem não gosta de reconhecer a inevitabilidade de uma morte natural . . .”, a expressão grifada é:

a) adjunto adnominal;
b) adjunto adverbial;
c) complemento nominal;
d) agente da passiva;
e) sujeito.

33. “Ué, gente: vocês ainda não foram pra sala? !” – o sujeito:

a) simples;
b) composto;
c) indeterminado;
d) inexistente;
e) oculto.

34. Em: “Bebe que é doce, papai” – a palavra grifada funciona como:

a) sujeito;
b) aposto;
c) vocativo;
d) adjunto adverbial;
e) adjunto adnominal.


GABARITO

1. D
2. E
3. A
4. D
5. E
6. E
7. C
8. C
9. E
10. A
11. D
12. E
13. A
14. C
15. E
16. C
17. B
18. B
19. E
20. C
21. C
22. A
23. A
24. D
25. B
26. A
27. B
28. D
29. D
30. C
31. C
32. C
33. A

34. C

Concordância Verbal e Nominal – Exercícios com GABARITO – Simulado – Questões para Concursos Públicos


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

Concordância Verbal e Nominal – Exercícios com GABARITO


1. (IBGE) Indique a opção correta, no que se refere à concordância verbal, de acordo com a norma culta:

a) Haviam muitos candidatos esperando a hora da prova.
b) Choveu pedaços de granizo na serra gaúcha.
c) Faz muitos anos que a equipe do IBGE não vem aqui.
d) Bateu três horas quando o entrevistador chegou.
e) Fui eu que abriu a porta para o agente do censo.

2. (IBGE) Assinale a frase em que há erro de concordância verbal:

a) Um ou outro escravo conseguiu a liberdade.
b) Não poderia haver dúvidas sobre a necessidade da imigração.
c) Faz mais de cem anos que a Lei Áurea foi assinada.
d) Deve existir problemas nos seus documentos.
e) Choveram papéis picados nos comícios.

3. (IBGE) Assinale a opção em que há concordância inadequada:

a) A maioria dos estudiosos acha difícil uma solução para o problema.
b) A maioria dos conflitos foram resolvidos.
c) Deve haver bons motivos para a sua recusa.
d) De casa à escola é três quilômetros.
e) Nem uma nem outra questão é difícil.

4. (CESGRANRIO) Há erro de concordância em:

a) atos e coisas más
b) dificuldades e obstáculo intransponível
c) cercas e trilhos abandonados
d) fazendas e engenho prósperas
e) serraria e estábulo conservados

5. (MACK) Indique a alternativa em que há erro:

a) Os fatos falam por si sós.
b) A casa estava meio desleixada.
c) Os livros estão custando cada vez mais caro.
d) Seus apartes eram sempre o mais pertinentes possíveis.
e) Era a mim mesma que ele se referia, disse a moça.

6. (UF-PR) Enumere a segunda coluna pela primeira (adjetivo posposto):

(1) velhos ( ) camisa e calça …………
(2) velhas ( ) chapéu e calça …………
( ) calça e chapéu …………
( ) chapéu e paletó ………..
( ) chapéu e camisa ……….

a) 1 – 2 – 1 – 1 – 2
b) 2 – 2 – 1 – 1 – 2
c) 2 – 1 – 1 – 1 – 1
d) 1-2-2-2-2
e) 2-1-1-1-2

7. (UF-FLUMINENSE) Assinale a frase que encerra um erro de concordância nominal:

a) Estavam abandonadas a casa, o templo e a vila.
b) Ela chegou com o rosto e as mãos feridas.
c) Decorrido um ano e alguns meses, lá voltamos.
d) Decorridos um ano e alguns meses, lá voltamos.
e) Ela comprou dois vestidos cinza.

8. (BB) Verbo deve ir para o plural:

a) Organizou-se em grupos de quatro.
b) Atendeu-se a todos os clientes.
c) Faltava um banco e uma cadeira.
d) Pintou-se as paredes de verde.
e) Já faz mais de dez anos que o vi.


9. (BB) Verbo certo no singular:

a) Procurou-se as mesmas pessoas
b) Registrou-se os processos
c) Respondeu-se aos questionários
d) Ouviu-se os últimos comentários
e) Somou-se as parcelas

10. (BB) Opção correta:

a) Há de ser corrigidos os erros
b) Hão de ser corrigidos os erros
c) Hão de serem corrigidos os erros
d) Há de ser corrigidos os erros
e) Há de serem corrigidos os erros

GABARITO

1. C
2. D
3. D 
4. D
5. D
6. C
7. A
8. D
9. C

10. B

Dicas de Concursos Públicos – 35 Questões com Gabarito Estilo Banca Cespe/Unb


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos


Texto para os itens de 1 a 8

Dar o peixe
ou ensinar a pescar?

Ainda é muito comum o argumento de que, no combate à pobreza no Brasil, não se deve dar o peixe, mas ensinar a pescar. Os resultados de pesquisas recentes, no entanto, indicam que ensinar a pescar pode ser muito pouco para uma grande massa de população que já se encontra em situação de extrema privação.
A pobreza é uma metáfora para o sofrimento humano trazido à arena pública, e pode ser definida de maneiras distintas.
Muita energia é despendida na busca de uma definição rigorosa, capaz de distinguir com clareza o sofrimento suficiente do sofrimento insuficiente para classificar alguém como pobre, mas aqui isso não é necessário: apenas para conduzir a argumentação, vamos tratar pobreza como uma situação extrema, na qual se encontram os indivíduos pertencentes a famílias que não dispõem de renda para adquirir uma cesta de alimentos e outros bens de consumo, como vestimentas e medicamentos.
Pesquisas embasadas nesse tipo de definição estimam que uma fração entre um terço e a metade da população brasileira possa ser considerada pobre. Essa é uma definição forte; e estimativas subjetivas de linhas de pobreza demonstram que boa parte da população brasileira ainda consideraria insuficientes as rendas de famílias que se encontram em níveis superiores
aos usados nessas pesquisas como linha de pobreza.
Vamos assumir, também, que a existência desse tipo de pobreza é socialmente inaceitável e, portanto, que desejamos erradicá-la o quanto antes. É óbvio que o horizonte de tempo proposto define que tipos de mudança na sociedade serão necessários.
Provavelmente, um prazo mais curto exigirá políticas mais drásticas. Para manter a argumentação em torno das propostas mais debatidas, atualmente, para a erradicação da pobreza no país, vamos definir como limite razoável algo entre uma e duas décadas.
A insuficiência de recursos nas mãos de parte da população pode ser entendida como resultado ou de uma insuficiência generalizada de recursos ou de má distribuição dos recursos existentes. Logo, o combate à pobreza pode tomar dois rumos básicos: aumentar o nível de recursos per capita da sociedade ou distribuir melhor os recursos existentes. Nada impede, é claro, que as duas coisas ocorram simultaneamente.
Os caminhos para o aumento dos recursos per capita encontram-se entre dois extremos: diminuir a população ou fazer com que a economia cresça mais rápido que ela. Como as estratégias de diminuição da população existente, em um prazo razoável, beiram o absurdo, a proposta de crescimento da economia, maior do que a do crescimento da população, é
geralmente muito mais debatida no Brasil.
Dadas as dificuldades que se colocam para o crescimento acelerado de qualquer economia, durante muito tempo se sugeriu que o problema da pobreza no Brasil poderia ser enfrentado pela via do controle de natalidade. Embora esse argumento, ainda hoje, encontre algum eco fora dos meios acadêmicos, todas as evidências empíricas disponíveis rejeitam a viabilidade da erradicação da pobreza por meio da redução no ritmo de reprodução da população.

Marcelo Medeiros. In: UnB Revista, dez./2003-mar./2004, p. 16-9 (com adaptações).

Acerca do texto acima, julgue os itens a seguir.

1. O texto, apesar de falar em “argumentação”, é predominantemente descritivo, uma vez que apresenta os contornos e as características da parte da população brasileira considerada “pobre”.

2. No primeiro parágrafo, a idéia central pode ser resumida da seguinte forma: é necessário dar bens de subsistência para quem já se encontra em situação de miséria extrema.

3. Do segundo ao quinto parágrafos, é apresentada, entre distintas acepções de pobreza, a que será adotada pelo autor e mediante a qual devem ser entendidas as suas idéias.

4. Nos parágrafos sexto e sétimo, o autor associa a pobreza, fundamentalmente, a aspectos econômicos e financeiros, argumentando que, para saná-la, é imperioso elevar a renda per capita.

5. No último parágrafo, a proposta de diminuição da taxa demográfica de pobres, com o estímulo ao controle e à redução da natalidade, é defendida pelo autor.

6. Além de ser correta, a substituição do termo “despendida” (2º parágrafo) por dispendida não altera o sentido do texto.

7. Em “a metade da população brasileira possa ser considerada pobre. Essa é uma definição forte” (3º parágrafo), há quatro substantivos abstratos determinados por quatro adjetivos.

8. A união entre as orações existentes no trecho “que a existência desse tipo de pobreza é socialmente inaceitável e, portanto, que desejamos erradicá-la o quanto antes” (4º parágrafo) dá-se por processo de coordenação.

9. O emprego do itálico em “per capita” (7º parágrafo) justifica-se por se tratar de uma expressão estrangeira que significa, no contexto, em língua portuguesa, por cabeça ou por pessoa.

10. No último parágrafo do texto, “acadêmicos” e “evidências” recebem acento pelo mesmo motivo.

Os itens subsequentes são reescrituras adaptadas de partes de textos extraídos de UnB Revista, n.º 9, dez./2003-mar./2004. Julgue-os quanto a acentuação gráfica, emprego do sinal indicativo de crase, concordância, regência e pontuação.

11. Políticas de controle da natalidade não são uma solução viável, não só porque violam a liberdade das famílias de decidir seu tamanho, mas, também, porque causam um vazio geracional que, futuramente, poderá ter diversos impactos negativos para a sociedade.

12. O crescimento da economia parece ser uma proposta mais tentadora: crescer aumenta a quantidade de recursos disponíveis e, se os resultados desse crescimento forem distribuídos a todos, a tendência é de que a pobreza seja reduzida.

13. Se o problema da pobreza é, majoritariamente, uma questão de desigualdade e de desequilíbrio, estratégias de erradicação da miséria devem ser formuladas, levando em conta as causas de tais divergências.

14. Visando a formação de novas mentalidades, abertas permanentemente as modificações que ocorrem na sociedade, é necessário um constante diálogo das instituições jurídicas do país com as universidades afim do proveito de ambas, e consequentemente, da sociedade brasileira.

15. O momento atual, a despeito do que muitos afirmam, revela-se uma oportunidade impar para uma reflexão à respeito do funcionamento da administração pública e acerca das funções a serem desempenhadas pela sociedade no estado democrático de direito.
Não há dúvida de que, no início do século XXI, os Estados Unidos da América chegaram mais perto do que nunca da possibilidade de constituição de um “império mundial”. Mas, se o mundo chegasse a esse ponto e constituísse um império global, isso significaria — ao mesmo tempo e por definição — o fim do sistema político interestatal. E o mais provável, do ponto de vista econômico, é que tal transformação viesse a significar também o fim do capitalismo. Em uma linguagem mais próxima da física e da termodinâmica do que da dialética hegeliana, pode-se dizer que a expansão do poder global na direção do império mundial é, ao mesmo tempo, uma força que levaria o sistema mundial à entropia, ao provocar sua homogeneização interna e o desaparecimento das hierarquias e conflitos responsáveis pelo dinamismo e pela ordem do
próprio sistema.

José Luís Fiori. Correio Braziliense, 25/12/2004 (com adaptações).


Em relação ao texto acima, julgue os itens que se seguem.

16. O emprego da preposição “de” em “Não há dúvida de que” justifica-se pela regência da forma verbal “há”.

17. Como na sequência há um complemento oracional, a omissão da preposição “de” em “Não há dúvida de que” também estaria de acordo com as exigências da norma escrita culta.

18. Como o primeiro período do texto apresenta idéia relativa a um único país, o emprego do verbo chegar no singular — chegou — estaria de acordo com as exigências de concordância da norma escrita culta, sem necessidade de outras alterações no texto.

19. Mantêm-se a correção gramatical do período e as informações originais do texto ao se eliminar a palavra sublinhada em “mais perto do que nunca”

20. O emprego do futuro do pretérito em “significaria” é decorrente do emprego de estrutura antecedente que tem valor condicional, formada por verbo no imperfeito do subjuntivo.

21. Pelos sentidos do texto, é correto inferir que a palavra “entropia” está sendo empregada com o significado de equilíbrio, organização.

22. Para o trecho “que levaria (…) à entropia”, a crase se justifica pela regência do verbo levar.

23. Infere-se das informações e dos sentidos do texto que o dinamismo e a ordem do sistema político interestatal em vigor atualmente no mundo podem prescindir de hierarquias e conflitos.


Quase todas as grandes potências já foram colonialistas e anticolonialistas, pacifistas e belicistas, liberais e mercantilistas, e quase todas elas, além disso, já mudaram de posição várias vezes ao longo da história. Nesse contexto, as previsões, liberais ou marxistas, do fim dos estados ou das economias nacionais, ou mesmo da formação de algum tipo de federação cosmopolita e pacífica, são utopias, com toda a dignidade das utopias que partem de argumentos éticos e expectativas generosas, mas são idéias ou projetos que não têm nenhum apoio objetivo na análise da lógica e da história passada do sistema mundial. Apesar de tudo isso, é possível identificar através da história a existência de forças que atuam na direção contrária do poder global e do império mundial. Forças que impediram — até agora — que esse processo de centralização do poder chegasse até o seu limite imperial, o que provocaria a dissolução do sistema político e econômico
mundial.
Idem, Ibidem.

Com referência às ideias e estruturas do texto acima, julgue os itens a seguir.

24. A expressão “Nesse contexto” é um elemento de coesão textual, pois retoma de forma sintética todas as informações do período anterior.

25. A inserção de uma vírgula logo após a expressão “dignidade das utopias” mantém as mesmas relações sintáticas e a informação original do período.

26. Pelas informações do texto, estaria gramaticalmente correta e de acordo com as idéias do texto a substituição do trecho “expectativas generosas, mas são idéias” por: expectativas generosas. Entretanto, essas previsões são idéias.

27. Pela presença das preposições, é correto afirmar que os elementos “da lógica”, “da história passada” e “do sistema mundial” têm a mesma função sintática no período, pois complementam a palavra “análise”.

28. Mantém-se a ênfase da afirmação, sem prejuízo para a correção gramatical do período, se as duas ocorrências da forma “do” forem substituídas por em relação ao.

29. No início do último período do texto, substituir “Forças” por São essas forças constitui alternativa gramaticalmente incorreta para o período, porque prejudica a coesão textual.

30. O emprego do futuro do pretérito em “provocaria” justifica-se pelo emprego do subjuntivo em “chegasse” e admite como gramaticalmente correta a substituição pela forma teria provocado ou por iria provocar.

A responsabilidade política do Poder Judiciário no MERCOSUL é nítida nesta quadra. Precisamos, portanto, com absoluta transparência, discutir e verificar como as nossas instituições jurídicas estão desenhadas. A justiça brasileira ainda está presa às concepções autonômicas do século XIX, e, por isso, o tratado internacional tem sido considerado
norma de natureza ordinária, e, conseqüentemente, é sujeito à modificação, à revogação e à alteração por qualquer legislação ordinária, sem qualquer audiência dos organismos internacionais e dos países que foram co-participantes da elaboração de um tratado, seja ele de qualquer natureza: comercial, civil, tributária.

Internet: .

Acerca do texto acima, julgue os itens seguintes.

31. Na expressão “presa às concepções”, estaria gramaticalmente correta a preferência pela estrutura presa a concepções, em que é omitido o artigo feminino plural, com a permanência da preposição


32. Os 3 últimos sinais indicativos de crase têm justificativas diferentes, e dois deles podem ser omitidos sem prejuízo para a correção gramatical do período.

Considerando que os fragmentos incluídos nos itens seguintes, na ordem em que estão apresentados, são partes sucessivas de um texto, julgue-os quanto à correção gramatical.

33. Uma das causas do congestionamento do sistema judiciário reside na legislação processual que, de tão ultrapassada, enseja recursos inimagináveis em qualquer outro sistema.

34. A multiplicidade de manifestações de insurgência contra toda e qualquer disposição judicial, com invocação das garantias constitucionais de ampla defesa e devido processo, fazem com que o exame do mérito das causas seja adiado quase que indefinidamente.

35. Sucede-se na comarca os juízes e nos tribunais os relatores de modo que, sobre uma única demanda, várias gerações de magistrados se devam debruçar, reiniciando — como se espera — o estudo do feito desde sua página inicial. Itens adaptados.

GABARITO

1. E
2. C
3. C 
4. E 
5. E
6. E 
7. E 
8. C 
9. C 
10. E
11. C 
12. C 
13. C 
14. E 
15. E
16. E 
17. C 
18. E 
19. C 
20. C
21. E 
22. C 
23. E 
24. C 
25. E
26. C 
27. E 
28. C 
29. E 
30. C
31. C 
32. E 
33. C 
34. E 

35. E

Questões para Concursos com Gabarito – 10 Questões da Fundação Carlos Chagas sobre Crase.


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

10 Questões da Fundação Carlos Chagas sobre Crase

1. (FCC/TST/2012) Considere: 
___ angústia de imaginar que o homem pode estar só no universo soma-se a curiosidade humana, que se prende ___ tudo o que é desconhecido, para que não desapareça de todo o interesse por pistas que dariam embasamento___ teses de que haveria vida em outros planetas. 

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada: 

a) À – a – às
b) A – à – as
c) À – a – as
d) A – a – às
e) À – à – as


2. (FCC/TRF – 5ª REGIÃO/2012) O detetive Gervase Fen, que apareceu em 1944, é um homem de face corada, muito afeito ___ frases inteligentes e citações dos clássicos; sua esposa, Dolly, uma dama meiga e sossegada, fica sentada tricotando tranquilamente, impassível ___ propensão de seu marido ___ investigar assassinatos. 
(Adaptado de P.D.James, op.cit.) 


Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada: 

 a) à – à – a
b) a – à – a
c) à – a – à
d) a – à – à
e) à – a – a

3. (FCC/TRF-3R/2007) É preciso suprimir um ou mais sinais de crase em:

a) À falta de coisa melhor para fazer, muita gente assiste à televisão sem sequer atentar para o que está vendo.

b) Cabe à juventude de hoje dedicar-se à substituição dos apelos do mercado por impulsos que, em sua verdade natural, façam jus à capacidade humana de sonhar.

c) Os sonhos não se adquirem à vista: custa tempo para se elaborar dentro de nós a matéria de que são feitos, às vezes à revelia de nós mesmos.

d) Compreenda-se quem aspira à estabilidade de um emprego, mas prestem-se todas as homenagens àquele que cultiva seus sonhos.

e) Quem acha que agracia à juventude de hoje com elogios ao seu pragmatismo não está à salvo de ser o responsável pela frustração de toda uma geração.

4. (FCC/TRT – 24ª REGIÃO/2011) Considere as frases seguintes: 


I. As inovações no ramo da estética permitem ___ um grande número de pessoas se sentirem mais belas. 
II. Sempre existiu preocupação com a beleza, embora mudem os critérios ___ que ela obedece. 
III. A beleza, ___ parte alguns exageros, deve ser buscada até mesmo com intervenções cirúrgicas. 
As lacunas das frases acima estarão corretamente preenchidas, respectivamente, por:

a) à – a – à
b) a – a – a
c) a – à – à
d) à – à – a
e) a – a – à

5. (FCC/TRT – 24ª REGIÃO/2011) Justifica-se plenamente o emprego de ambos os sinais de crase em:

a) Ela pode voltar à qualquer momento, fiquemos atentos à sua chegada.
b) Dispôs-se à devolver o livro, à condição de o liberarem da multa por atraso.
c) Postei-me à entrada do cinema, mas ela faltou também à esse compromisso.
d) Àquela altura da velhice já não assistia à filmes trágicos, apenas aos de humor.
e) Não confie à priminha os documentos que obtive à revelia do nosso advogado.

6. (FCC/TRE-RN/2011)

Graças ___ resistência de portugueses e espanhóis, a Inglaterra furou o bloqueio imposto por Napoleão e deu início ___ campanha vitoriosa que causaria ___ queda do imperador francês.
Preenchem as lacunas da frase acima, na ordem dada, 

a) a – à – a
b) à – a – a
c) à – à – a
d) a – a – à
e) à – a – à

7. (FCC/TRT – 1ª REGIÃO/2011)
O avanço rumo ___ um desenvolvimento sustentável depende de diversos fatores, entre os quais estão o estímulo ___ novas tecnologias e o compromisso ético de empresas que tenham como prioridade o respeito ___ causas ambientais. 

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada: 

a) a – à – as
b) a – a – às
c) à – a – as
d) a – à – às
e) à – à – as

8. (FCC/TRT – 23ª REGIÃO/2011)

Gabriel García Marquez cresceu em meio ___ plantações de banana de Arataca, situada ___ poucos quilômetros do vilarejo de Macondo, que ele se dedicou ___ retratar na obra Cem anos de solidão. 
Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada: 

a) as – à – a
b) as – à – à
c) às – a – a
d) às – à – à
e) as – a – à

9. (FCC/Banco do Brasil/2011)

Quando comparado ___ outras aves, os tucanos parecem ser bem maiores ___ quem os observa, ___ voar na natureza. 
Os espaços pontilhados da frase acima estarão correta- mente preenchidos, na ordem, por: 
a) às – a – a
b) às – à – a
c) as – a – a
d) às – a – à
e) as – à – à

10. FCC/TRE-PE/2011)

Ainda que riqueza [...] à custa do trabalho escravo … A sociedade colonial no Brasil [...] desenvolveu-se [...] à sombra das grandes plantações de açúcar …

Do mesmo modo que nas frases acima, está correto o emprego da crase em: 

a) combate à fome.
b) vendas à prazo.
c) escrito à lápis.
d) avião à jato.
e) defender à unhas e dentes.

GABARITO
1. A
2. B
3. E
4. E
5. E
6. C
7. B
8. C
9. A

10. A

Questões para Concursos Públicos – Simulado 30 Exercícios de Colocação Pronominal com Gabarito


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

30 Exercícios de Colocação Pronominal com Gabarito


Para as perguntas de 01 a 28 você deverá assinalar com “C “ o que estiver correto e com “I” os
incorretos:

01) ( ) O presente é a bigorna onde se forja o futuro. (próclise)
02) ( ) Nossa vocação molda-se às necessidades. (ênclise)
03) ( ) Se não fosse a chuva, acompanhar-te-ia. (mesóclise)
04) ( ) Macacos me mordam!
05) ( ) Caro amigo, muito lhe agradeço o favor…
06) ( ) Ninguém socorreu-nos naqueles momentos difíceis.
07) ( ) As informações que se obtiveram, chocavam-se entre si.
08) ( ) Quem te falou a respeito do caso?
09) ( ) Não foi trabalhar porque machucara- se na véspera.
10) ( ) Não só me trouxe o livro, mas também me deu presente.
11) ( ) Ele chegou e perguntou-me pelo filho.
12) ( ) Em se tratando de esporte, prefere futebol.
13) ( ) Vamos, amigos, cheguem-se aos bons.
14) ( ) O torneio iniciar-se-á no próximo Domingo.
15) ( ) Amanhã dizer-te-ei todas as novidades.
16) ( ) Os alunos nos surpreendem com suas tiradas espirituosas.
17) ( ) Os amigos chegaram e me esperam lá fora.
18) ( ) O torneio iniciará-se no próximo domingo.
19) ( ) oferecida-lhes as explicações, saíram felizes.
20) ( ) Convido-te a fazeres-lhes, essa gentileza.
21) ( ) Para não falar- lhe, resolveu sair cedo.
22) ( ) É possível que o leitor nos não creia.
23) ( ) A turma quer-lhe, fazer uma surpresa.
24) ( ) A turma havia convidado-o para sair.
25) ( ) Ninguém podia ajudar-nos naquela hora.
26) ( ) Algumas haviam-nos contado a verdade.
27) ( ) Todos se estão entendendo bem.
28) ( ) As meninas não tinham nos convidado para sair.

29) Assinale a frase com erro de colocação pronominal:

a) Tudo se acaba com a morte, menos a saudade.
b) Com muito prazer, se soubesse, explicaria-lhe tudo.
c) João tem-se interessado por suas novas atividades.
d) Ele estava preparando-se para o vestibular de Direito.

30) Assinale a frase com erro de colocação pronominal:
a) Tudo me era completamente indiferente.
b) Ela não me deixou concluir a frase.
c) Este casamento não deve realizar-se.
d) Ninguém havia lembrado-me de fazer as reservas.


GABARITO

01.C
02.C
03.C
04.C
05.C
06.I
07.C
08.C
09.I
10.C
11.C
12.C
13.C
14.C
15.I
16.C
17.C
18.I
19.I
20.I
21.C
22.C
23.C
24.I
25.C
26.I
27.I
28.I
29.B

30.D

Exercícios de Interpretação de Texto Com Gabarito – Questões para Concursos Públicos


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

Instruções para as questões de números 1 a 6.

Cada um dos períodos abaixo foi redigidos de cinco formas diferentes. Leia-os todos com a tenção e selecione a letra que corresponde ao período que tem melhor redação, considerando correção, clareza, concisão , elegância.

01 – (SJRP-JUNDIAÍ)

a) Um sentimento pungente me dominava, abafando uma vaga, uma imprecisa sensação de sarcasmo.

b) Eu sentia duas coisas: uma imprecisa sensação de sarcasmo e um sentimento pungente que, ao dominar-me, abafava o mesmo.

c) Uma imprecisa e vaga sensação sarcástica me abafava a pungência que me dominava.

d) O sarcasmo impreciso e vago era abafado pelo sentimento que eu sentia, pungente dentro de mim.

e)Tão pungente que era, denominava-me um sentimento que abafava a sensação de sarcasmo, por sua vez, vaga e imprecisa.

02 – (SJRP-JUNDIAÍ)

a)A pouco a pouco, eis que vão desaparecendo do nosso litoral do Ceará as dunas, que restavam como derradeiro recurso natural doa últimos que o homem não tocou.

b)As constas Cearenses estão perdendo aos poucos as dunas, que o homem deixou em último lugar, dos recursos naturais que ele mesmo vai destruindo.

c)As dunas que representam um dos últimos recursos naturais intocados pelo homem, estão desaparecendo pouco a pouco da costa cearense.

d)No Ceará, vão sumindo pouco por pouco os recursos naturais de que as dunas são um deles, mas o homem vai pondo a perder, o litoral

e)Por obra do homem, os recursos naturais entre os quais as dunas da costa do Ceará, vão sendo destruídas aos poucos.

03 – (SJRP-JUNDIAÍ)

a)A política externa americana, depois da guerra, precisa fornecer aos seus presidentes um triunfo ribombante, para que em política interna os mesmos criem uma boa imagem de si.

b)As imagens dos presidentes americanos, como se viu depois da guerra, só ficam boas internamente quando um sucesso enorme externamente contribui para tal melhoria.

c)Após a guerra, o exemplo que se vê é esse, que todos os presidentes americanos melhorem sua imagem interna às custas de uma política externa capaz de fazê-lo.

d)Em termos de imagem interna, sucede aos presidentes americanos que, no período de pós-guerra, só uma política externa favorável consegue melhorar a mesma.

e)A julgar pelos exemplos de pós-guerra, todo presidente americano precisa de um triunfo retumbante em política externa para firmar a sua imagem no plano interno

04 – (SJRP-JUNDIAÍ)

a)Empurradas por ventos de mais de 60 quilômetros horários, as dunas, em alguns trechos, chegaram a avançar até 300 metros.

b)Os ventos, de até mais de 60 quilômetros por hora, empurraram as dunas, avançando-as em certos pontos de até 300 metros.

c)As dunas que são empurradas por ventos que ultrapassam 60 quilômetros à hora , ocuparam trechos que avançam até 300 metros.

d)A velocidade de mais de 60 quilômetros à hora imprimem um impulso nas dunas em alguns trechos, cobrindo uma faixa de até 300 metros, devido ao vento.

e)Cerca de 300 metros de certos trechos, foram cobertos pelas dunas que avançavam; tendo sido empurradas pelo vento de mais de 60 quilômetros horários.

05 – (SJRP-JUNDIAÍ)

a)Impossível dizer, no que tange ao atual movimento poético, a extensão e sua persistência.

b)A persistência e extensão do movimento poético da atualidade é impossível determinar.

c)É impossível determiná-los, com relação à persistência e extensão do movimento poético contemporâneo.

d)Não é possível determinar nem a extensão nem a persistência do atual movimento poético.
e)É impossível determinar a extensão como a persistência da atualidade da poesia que nele se faz.

06 – (SJRP-JUNDIAÍ)

a)Esta presente geração hodierna, se guardar o entusiasmo, terá o futuro em suas mãos.

b)Na mão do jovem está o futuro, senão afrouxar seu entusiasmo.

c)Contando que lhe não afrouxe o entusiasmo, a geração atual tem nas mãos o futuro.

d)Se não lhe afrouxar o entusiasmo, o futuro pertence à mão do jovem atual.

e)Guardando o entusiasmo, será esta a condição par que a geração atual tenha ao futuro nas mãos.

Instruções para as questões de número 7 a 10.

Essas questões referem-se à compreensão de leitura. Leia atentamente cada uma delas e assinale a alternativa que esteja de acordo com o texto. Baseie-se exclusivamente nas informações nele contidas.

07 – (UEMT-LONDRINA) “Não muito remota é a conquista pedagógica que consiste na interpretação psicológica da criança como criança, e não como adulto em miniatura. Até
então, a criança tinha sido considerada do ponto de vista do adulto, olhada como um adulto ante um binóculo invertido; aquilo que fosse útil ao inútil par o adulto, igualmente o seria, guardadas as devidas proporções para a criança.”

Segundo o texto:

a)O comportamento da criança é a uma antecipação do comportamento do adulto.

b)Atualmente, a pedagogia considera a criança um ser qualitativamente diferenciado do adulto.

c)A pedagogia moderna, para interpretar o comportamento do adulto, tem que reportar-se à infância.

d)Para a corrente pedagógica moderna, a não ser por uma questão de grau, a motivação intrínseca da criança é a mesma que a do adulto.

e) O comportamento humano é explicado por fatores que são os mesmo tanto par a criança quanto para o adulto.

08 – (UEMT-LONDRINA) “Para vendermos produtos, mesmos mais baratos, os salários das classes mais baixas precisariam ser maiores.”

Conclui-se do texto que:

a)As classe pobres podem comprar apenas os produtos cujo preço foi sensivelmente reduzidos.

b)O fato de os salários serem baixos induz as classes pobres à indiferença diante de suas necessidade do consumo..

c)As calasses pobres, em face de seus baixos vencimentos, não se importam com a qualidade dos produtos que consomem.

d)As classes pobres se endividam demasiadamente, já que, por força dos baixos salários que recebem, têm poder aquisitivo muito reduzido.

e)A redução do preço dos produtos não é suficiente para colocá-los ao alcance dos salários das classes mais baixas.

09 – (UEMT-LONDRINA) “A idéia de que diariamente, cada hora, a cada minuto e em cada lugar se realizam milhares de ações que me teriam profundamente interessado, de que eu deveria certamente tomar conhecimento e que, entretanto, jamais me serão comunicadas – basta par tirar o sabor a todas as perspectivas de ação que encontro a minha frente. O pouco que eu pudesse obter não compensaria jamais esse infinito perdido.”

De acordo com o texto , para o autor:

a)a consciência da impossibilidade de participar de todos os acontecimentos diminui a importância de seus atos.

b)O interesse que o indivíduo manifesta em participar dos acontecimentos é maior que sua capacidade par dirigi-los.

c)O mundo ganha valia com o conjunto das ações humanas, mas destrói o sabor que a vida possa, individualmente, oferecer aos homens.

d)O mundo não se resolve nos gestos individuais, mas resulta do conjunto da ação harmoniosa dos indivíduos.

e)A impotência de participar dos acontecimentos de seu tempo traz, como conseqüência, o descaso pela ação humana.

10 – (UEMT-LONDRINA) “Um dia desta semana, farto de vendavais, naufrágios, boatos, mentiras, polêmicas, farto de ver como se descompõem os homens, acionistas e diretores,
importadores e industriais, farto de mim, de ti, de todos, de um tumulto sem vida, de um silêncio sem quietação, peguei de uma página de anúncios (…)”.

Dizendo-se farto “de um tumulto sem vida, de um silêncio sem quietação”, o cronista permite-nos concluir que ele vê o mundo como:

a)incompreensível
b)contraditório
c)autoritário
d)Indiferente
e)Inatingível

GABARITO

01) B
02) E
03) A
04) C
05) A
06) D
07) D
08) C
09) B

10) A

Questões com Gabarito – 10 exercícios de português para ajudá-los na preparação para concursos e vestibulares.


Questões com Gabarito – Simulado – Questões para Concursos Públicos – Dicas de Concursos Públicos

Português em Exercícios (Com Gabarito)

Seguem mais 10 exercícios de português para ajudá-los na preparação para concursos e vestibulares:


01. Assinale onde não ocorre a concordância nominal:

A) As salas ficarão tão cheias quanto possível.

B) Tenho bastante dúvidas.
C) Eles leram o primeiro e segundo volumes.
D) Um e outro candidato virá.
E) Não leu nem um nem outro livro policiais.


02. Marque onde o termo em destaque está erradamente empregado:

A) Elas ficaram todas machucadas.

B) Fiquei quite com a mensalidade.
C) Os policiais estão alerta.
D) As cartas foram entregues em mãos.
E) Neste ano, não terei férias nenhumas.




03. Analise sintaticamente o termo em destaque: A marcha alegre se espalhou na avenida…

A) predicado

B) agente da passiva
C) objeto direto
D) adjunto adverbial
E) adjunto adnominal

04. Marque onde o termo em destaque não representa a função sintática ao lado:

A) João acordou doente. (predicado verbo-nominal)

B) Mataram os meus dois gatos. (adjuntos adnominais)
C) Eis a encomenda que Maria enviou. (adjunto adverbial)
D) Vendem-se livros velhos. (sujeito)
E) A ideia de José foi exposta por mim a Rosa. (objeto indireto)

05 Ache a afirmativa falsa:

A) usam-se os parênteses nas indicações bibliográficas;

B) usam-se as reticências para marcar, nos diálogos, a mudança de interlocutor;
C) usa-se o ponto-e-vírgula para separar orações coordenadas assindéticas de maior extensão;
D) usa-se a vírgula para separar uma conjunção colocada no meio da oração;
E) usa-se o travessão para isolar palavras ou frases, destacando-as.

06 Identifique o termo acessório da oração:

A) adjunto adverbial

B) objeto indireto
C) sujeito
D) predicado
E) agente da passiva

07 Qual a afirmativa falsa sobre orações coordenadas?

A) as coordenadas quando separadas por vírgula, se ligam pelo sentido geral do período;

B) uma oração coordenada muitas vezes é sujeito ou complemento de outra;
C) as coordenadas sindéticas subdividem-se de acordo com o sentido e com as conjunções que as ligam;
D) as coordenadas conclusivas encerram a dedução ou conclusão de um raciocínio;
E) no período composto por coordenação, as orações são independentes entre si quanto ao relacionamento sintático.

08 Identifique a afirmativa verdadeira:

A) as orações subordinadas ou são adjetivas ou adverbiais;

B) a preposição que introduz uma oração subordinada nunca pode ser omitida;
C) duas orações subordinadas podem estar coordenadas entre si;
D) uma oração se denomina principal porque vem primeiro que as outras;
E) o período composto por subordinação só pode ter duas orações.

09 Enumere a segunda coluna de acordo com a abreviatura da forma de tratamento adequada:

( 1 ) V.Ex.ª Rev.ma reitor de universidade ( )

( 2 ) V.Mag.ª papa ( )
( 3 ) V.Em.ª bispo e arcebispo ( )
( 4 ) V.S. cardeal ( )

A) 1 ; 4 ; 3 ; 2

B) 2 ; 4 ; 1 ; 3
C) 3 ; 4 ; 2 ; 1
D) 4 ; 2 ; 3 ; 1
E) 2 ; 4 ; 3 ; 1

10 Onde o pronome está erradamente empregado?

A) fez + o = fê – lo

B) diríamos = di – lo – íamos
C) pondes + o = ponde – lo
D) tem + o = tem – no
E) diríeis + o = diríei – lo


GABARITO

1. B
2. D
3. D
4. C
5. B
6. A
7. B
8. C
9. B

10. E