Dicas de Gramática – Qual é o plural de CORRIMÃO – Dicas de Português, Dúvidas de Português, Língua Portuguesa, Matéria Português.

Qual é a origem de ‘Higienópolis’? E qual é o plural de ‘corrimão’?

Dicas, Gramática

VOCÊ SABE…

…o que é hígido? E qual é a origem de Higienópolis?

Hígido e Higienópolis têm a mesma origem: vêm de higiene. Hígido significa saudável, o que tem saúde.

Higienópolis significa a cidade (=polis) da higiene. Na cidade de São Paulo, há um bairro chamado Higienópolis cuja história é bem interessante.

Durante muito tempo, a principal porta de entrada da cidade era a Estação da Luz. Lá chegavam os trens que traziam as riquezas do interior. A região da Estação da Luz era rodeada de fábricas e grandes mansões.

Os imigrantes europeus chegavam de navio ao porto de Santos e de trem à Estação da Luz na cidade de São Paulo. Mas, com o passar do tempo, junto com a riqueza e os imigrantes, também chegou a peste. E aquela região rodeada de riqueza, aos poucos, ficou tomada pela doença. Que fizeram as famílias ricas de São Paulo? Abandonaram seus palacetes e mansões, e buscaram um lugar sem doença, saudável. Era o lugar da higiene: Higienópolis. Depois, Jardins, Morumbi…

DESAFIO

O que é uma endemia?

a)    doença que existe constantemente em determinado lugar ou região, atingindo pequeno ou grande número de pessoas;

b)    doença que surge rapidamente em determinada região, atingindo grande número de pessoas;

c)    epidemia generalizada, que se alastra por todas as regiões.

Resposta: letra (a) = endemia é uma doença que constantemente atinge uma determinada região; quando a doença surge rapidamente numa região e atinge um grande número de pessoas, temos uma epidemia; e quando a epidemia é generalizada, espalha-se por todas (=pan) as regiões, temos uma pandemia.

DÚVIDAS DOS LEITORES

1ª) Qual é o plural de CORRIMÃO?

O plural de mão é mãos. A palavra corrimão é composta: correr + mão. Em razão disso tudo, o plural é corrimãos. Entretanto, aqui no Brasil, consagrou-se o uso do plural corrimões. É uma forma já aceita por muitos estudiosos de nossa língua. Nada tenho contra.

Assim sendo, considero perfeitamente corretas as formas corrimãos e corrimões. Fato que não é novo, pois existem outras palavras também com duas formas para o plural: vulcãos e vulcões; verãos e verões; guardiães e guardiões…

2ª) Muitos leitores querem saber se a concordância verbal na frase “42% da floresta amazônica estarão destruídos em 2020” está correta.

A concordância com as percentagens parece ser uma dúvida sem fim. Quase toda semana, aparecem perguntas a esse respeito.

Vou repetir a minha opinião.

Quando a percentagem vem acompanhada de um especificador, temos duas possibilidades: ou o verbo concorda com o número percentual ou com o especificar: “50% da população mundial VIVE ou VIVEM na miséria”; “97% do eleitorado brasileiro já VOTOU ou VOTARAM”.

Na voz passiva e com os verbos de ligação, prefiro a concordância com o especificador: “30% das crianças ainda não FORAM VACINADAS”; “Somente 1% das mulheres FICARAM GRÁVIDAS”.

No caso da frase “42% da floresta amazônica estarão destruídos em 2020”, há uma segunda possibilidade: “42% da floresta amazônica estará destruída em 2020”. Não podemos, entretanto, dizer que a frase original esteja errada, pois o verbo no plural está concordando com 42%. Afinal, não é a floresta amazônica que estará destruída, e sim os 42% que estarão destruídos.

CRÍTICA DO LEITOR

“A voluntária disse que tinha pego piolho”.

Mensagem da leitora: “Sempre me recusei a falar ou escrever ‘pego’, mas a professora de Português de minha neta lhe disse que o certo é pego, e não pegado. Como estou ultrapassada!”

Minha querida leitora, não se incrimine. Não se julgue ultrapassada. E não vamos reduzir a polêmica “pego ou pegado” a uma simples questão de certo ou errado.

Fato 1 – Segundo a tradição da língua portuguesa, o particípio do verbo pegar é pegado. Portanto, dizer que “tinha pegado piolho” não está errado. Chato é o piolho.

Fato 2 – No português falado no Brasil, está consagrada em todos os níveis sociais e culturais a forma variante “pego”, da mesma forma que “pago, gasto, ganho”. Não vejo pecado algum em dizer que “ele foi pego em flagrante”. Dizer que “ele foi pegado em flagrante” pode estar correto, mas soa artificial.

Resumindo: a minha preferência é usar a forma “pegado” com o verbo auxiliar ter (ou haver) e a variante “pego” com o verbo ser: “Ele tinha (ou havia) pegado os documentos” e “Os documentos foram pegos por ele”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s