Pronome Relativo – Dicas de Português, Dúvidas de Português, Língua Portuguesa, Matéria Português.

Entenda as várias maneiras do uso do pronome relativo ‘onde’

Li num bom jornal: “A energia elétrica é o setor da economia onde…”

Leitor quer saber a minha opinião a respeito do uso do pronome relativo “onde”.

Embora alguns estudiosos do nosso idioma já aceitem, não me agrada o uso do pronome “onde” em situações em que o termo substituído não expresse claramente a ideia de lugar.

Frases do tipo “…é a ideia onde o autor se baseou…” e “…ocorreu em maio onde o ministro declarou…” são, na minha opinião, inaceitáveis. No primeiro exemplo, o pronome “onde” está substituindo a palavra “ideia”, que não expressa ideia de lugar. Sugiro usar “…é a ideia em que (ou na qual) o autor se baseou”. No segundo caso, “onde” substitui “maio”, que expressa “tempo”, e não lugar. O correto seria dizer que “ocorreu em maio quando o ministro declarou…”

Se houver a ideia clara de lugar, o pronome “onde” é bem-vindo. No correto verso de Djavan “não sei as esquinas por que passei”, também seria possível dizer “as esquinas por onde (ou pelas quais) passei”.

VOCÊ SABE…

…qual é a origem da palavra manjedoura?

Segundo o mestre Deonísio da Silva, manjedoura deve vir do italiano mangiatoia, cocho onde se põe comida para os animais. Pode ter derivado de manjar (=comer), que tem formas semelhantes no francês manger e no italiano mangiare.

No latim, que deu origem ao português, ao francês e ao italiano, há o verbo manducare, que significa mastigar.

A manjedoura, por ter servido de berço ao Menino Jesus, tornou-se um símbolo cristão.

Manjedoura, portanto, é o lugar (=douro) onde os animais comem (=manjar).

É importante também observarmos o sufixo “-douro”, que aparece em palavras como ancoradouro (=lugar onde o navio ancora, põe a âncora para atracar), babadouro (=tipo de protetor onde a criança baba) e bebedouro (=onde se bebe água).

Com muita frequência ouvimos “bebedor”, em vez de bebedouro. Ora, bebedor é aquele que bebe, e não o lugar.

Por fim, é interessante lembrar que o sufixo “-douro” é variante de “-doiro”. Isso significa que as formas ancoradoiro e bebedoiro também existem.  E para o babadouro, o dicionário Aurélio também registra as formas babadoiro e babador. Se você não gostou de nenhuma, pode ainda usar o sinônimo babeiro.

DESAFIO

Que significa circadiano?

a)    o que circunda o dia;

b)    o contrário de meridiano;

c)    o mesmo que cosmopolita.

Resposta:

Letra (a) = circa (= circo, circular, em torno de, em volta de) + diano (=relativo ao dia). Vem do latim circa diem (=em torno do dia).

DÚVIDAS DO LEITOR

1ª) “Seria correto dizer ‘raios solar’, uma vez que o sol é apenas um? A dúvida foi levantada durante um exame.”

A palavra sol vive criando dúvidas quanto à formação do plural. O fato de haver um único sol não impede o seu plural. Quando falamos do sol do amanhecer e do sol do meio-dia, estamos falando de dois o quê? É lógico que são dois sóis diferentes. Ninguém diria “dois sol” diferentes. Outro exemplo é o uso metonímico de sol por dia: “Estão faltando apenas dois sóis para chegarmos”.

Portanto, estão corretíssimos os plurais de girassol e guarda-sol: girassóis e guarda-sóis.

Quanto ao pôr do sol, o caso é diferente. Nesse caso, quando há preposição entre os dois elementos da palavra composta, a regra manda pôr apenas o primeiro elemento no plural: pores do sol.

Com respeito aos “raios solares”, não há o que discutir. Solar, como todo adjetivo, deve concordar com o substantivo a que se junta para qualificá-lo. Como bem argumentou o nosso leitor, se a justificativa do “único sol” valesse, teríamos que dizer “bandeiras brasileira”, pois só há um Brasil.

2ª) “Ele é um dos que VIAJOU ou VIAJARAM ?”

Embora alguns gramáticos considerem a concordância facultativa, nós preferimos usar o verbo no PLURAL, para concordar com a palavra que antecede o pronome relativo QUE: “Ele é um DOS que VIAJARAM.”

O raciocínio é o seguinte: “dentre aqueles que viajaram, ele é um”.

Outro motivo que nos leva a preferir o verbo no PLURAL é a concordância nominal. Todos diriam que “ele é um dos artistas mais BRILHANTES” (=”que mais BRILHAM”). Ninguém usaria o adjetivo BRILHANTE no singular.

Portanto, depois de UM DOS…QUE, fazemos a concordância com o verbo no PLURAL: “Ela foi uma DAS MULHERES que SOCORRERAM as vítimas da enchente.” “É aniversário de um DOS MAIORES HOSPITAIS do país que TRATAM o câncer infantil.” “Uma DAS LINHAS que TRAZEM energia de Itaipu foi desligada ontem.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s